Arquivo | Notícias da PUC-SP RSS feed for this section

Candidata com problemas de memória é nomeada reitora da PUC-SP

13 nov

Por Benevides Paixão

O Grão Chanceler D. Odilo Scherer resolveu nomear a candidata Anna Cintra, que não venceu as eleições, como reitora da PUC-SP. Apesar de ter assinado compromisso público perante a comunidade puquiana, Anninha não titubeou na hora de aceitar o cargo.

Professores e estudantes já estão dizendo que a atitude é um golpe aos princípios democráticos da universidade, mas eu, Benevides Paixão, em entrevista exclusiva com a nova reitora, descobri a verdade: a pobrezinha sofre de problemas de memória, e vive esquecendo as coisas! Confira a entrevista e veja se não dá pra sentir dó dela:

Benevides Paixão: Aconteceu alguma coisa Anna Cintra? Marcamos a entrevista ao meio-dia. Já são seis da tarde e é agora que você aparece…

Anna Cintra: Benê meu caro, me desculpa! Sabe o que é? Eu costumo me esquecer das coisas!

BP: Puxa, sinto muito. Mas então, a pergunta que não quer calar: você disse que não aceitaria o cargo se fosse nomeada sem vencer a eleição, assinando um termo na frente da comunidade. Por que aceitou?

AC: Assinei? Ah, verdade, agora estou me lembrando. Que pena, se na hora que o Odilinho tivesse me nomeado eu lembrasse, não teria aceitado o cargo.

BP: Então agora que você se lembrou, vai renunciar em nome da democracia da PUC?

AC: Eu até gostaria Benê, mas sabe como é, vai pegar muito mal agora recusar a nomeação do Sche-sché. Ele vai ficar chateado, talvez nem me convide mais pros churrascos que ele adora fazer. Então vou ficar como reitora e fazer o meu melhor em nome da…da…

BP: Universidade?

AC: Eu ia dizer da carne e da breja do churrasco, mas é, da universidade também.

BP: Então, se a senhora está disposta a não largar o osso, acho que seria bom falar para os professores, estudantes e funcionários quais suas propostas para eles.

AC: Temos estudantes, professores e funcionários por aqui?!?! Nossa, essa entrevista tá me iluminando! Só lembrava dos burocratas que querem transformar isso aqui numa empresa. Gente boa esse pessoal, te apresento um dia desses.

BP: Sabe o que pode ajudar a curar seu problema de memória?

AC: O quê?

BP: Parar de usar todo esse laquê…Anna Cintra, muito obrigado pela sua atenção, encerramos aqui.

AC: De nada Benê! Estamos aí se quiser conversar. A porta vai ficar sempre aberta, a menos que eu me esqueça, claro.

Consun interfere em resultado de eleições para reitor

12 set

Atualizado às 18h34

O Conselho Universitário (Consun) da PUC-SP decidiu hoje, em sessão extraordinária, contar os votos da urna do hospital Santa Lucinda, do campus em Sorocaba, das últimas eleições paritárias para a reitoria.

As cédulas haviam sido anuladas, há duas semanas, durante a apuração, porque não continham rubrica de mesário que as validava.

A decisão partiu de um recurso enviado pela chapa “A PUC Vale a pena” que pedia a expurgação da nulidade das cédulas e foi aprovado pelo Consun por 18 votos a favor e 14 contra, com 1 abstenção, depois de mais de 4 horas de discussão da matéria.

Em seguida, os conselheiros votaram, de acordo com o recurso, se deveriam chamar uma nova eleição no setor dos funcionários — de onde veio a urna anulada em Sorocaba. Por 17 votos contra e 16 a favor, a reunião vetou a proposta e, por coerência, determinou que os votos daquela urna fossem então apurados.

Em nota a assessoria de imprensa da PUC-SP avisa que a contagem dessas cédulas acontecerá em sessão pública supervisionada pela Comissão Central Eleitoral (CCE), às 14h da próxima sexta feira (14), na sala 119-A, no primeiro andar do prédio novo da universidade — também conhecido como edifício Reitor Bandeira de Mello.

Dependendo do resultado dessa urna, o resultado anterior das eleições, que dava vitória ao candidato Dirceu de Mello, da chapa “Autonomia e Excelência Universitárias”, poderá ser alterado, definindo um outro vencedor.

O resultado final da votação será então enviado para homologação posterior do Consun, que vai elaborar uma lista tríplice a ser entregue, na sequência, para o cardeal Dom Odilo Pedro Scherer, grão-chanceler da PUC-SP. Desde que universidade realiza eleições diretas e paritárias para reitor, sempre foi escolhido o candidato com mais votos.

Estudantes organizam debate com candidatos à reitoria da PUC-SP

9 ago

Na próxima segunda-feira, 13 de agosto, acontece no Tucarena a “Roda Viva com os reitoráveis da PUC-SP”. Com início às 18h30 e duração de quatro horas, o debate pretende tratar as questões mais pertinentes do corpo discente e tem organização de estudantes de diversos cursos.

Com os três candidatos confirmados – os professores Dirceu de Mello, Anna Cintra e Francisco Serralvo – a Roda Viva contará também com a presença de 11 centros acadêmicos de quatro campi que questionarão os reitoráveis com base nas suas demandas específicas. Além disso, haverá um bloco para perguntas escritas, que poderão ser enviadas no momento do debate e, antes, também pela internet através do site http://www.formspring.me/rodavivapuc.

Quem não conseguir ir, pode acompanhar a transmissão ao vivo que será feita pela Agência Online de Jornalismo Maurício Tragtenberg (Agemt) no site http://agemt.org/. Todos os televisores da RedePUC no campus Perdizes também exibirão o debate e centros acadêmicos de Sorocaba, Consolação e Barueri devem projetá-lo em seus campi.

A Roda Viva é resultado de dois meses de discussões entre estudantes de diversos cursos da PUC-SP, num esforço de trazer aos alunos as verdadeiras preocupações da comunidade acadêmica quanto ao futuro da universidade da qual fazemos parte. Participe!

O evento no Facebook está em https://www.facebook.com/events/410004459052384/

Roda Viva com reitoráveis da PUC-SP:
Dia 13 de agosto (segunda-feira)
Das 18h30 às 22h30
No Tucarena (Rua Bartira, 1024 – Perdizes – São Paulo, SP)

Carta dos estudantes de Jornalismo e Multimeios ao Reitor Dirceu de Mello

19 abr

São Paulo, 19 de abril de 2012

Quando pensamos em PUC-SP, ou melhor, quando vocês, a administração desta universidade, pensam nela, a primeira palavra que vem em suas mentes provavelmente deve ser orgulho. Entretanto, para a grande maioria da comunidade acadêmica, a palavra que hoje fica é displicência. Nesse sentido, nós, estudantes de Jornalismo e Multimeios, estamos por meio desta ocupação perguntando ao senhor reitor e a FUNDASP o que vossas senhorias entendem por educação.

A universidade deve ser construída por e para a sociedade, de modo que são não aqueles que se mostram a serviço de uma  lógica mercantil do ensino que devem moldá-la, mas sim aqueles que verdadeiramente devem ser sujeitos dessa construção. Afinal, que educação é essa que precariza o trabalho dos professores  através da maximização de seus contratos e subsequentemente da inviabilização de uma pesquisa de  qualidade feita por estes; que lança aumentos abusivos e recorrentes das mensalidades, fazendo com que 86% da juventude não tenha acesso a educação; que educação é essa que não garante infraestrutura para o devido funcionamento das atividades acadêmicas, fechando uma faculdade inteira, a FAFICLA, sem nem ao menos ter para onde realocá-la em sua completude; a serviço de quem se fecha diversas turmas e cursos não lucrativos e se terceiriza e explora os trabalhadores; pensando em quem se cerceia a liberdade de expressão, pesquisa e cátedra dentro desta universidade; para quem o projeto atual da PUC-SP está sendo construído? Duvidamos muito que seja para nós.

Assim, visto essa situação de indiferença absoluta com a principal função de uma universidade, ou seja, oferecer um ensino de qualidade, universal, presencial, para todos e todas, laico e socialmente referenciado, exigimos uma audiência pública com a administração da PUCSP como um todo – reitoria e FUNDASP – para que em nossa frente seja dito para quem esta universidade está a serviço, desejamos que de forma clara seja dito isto, para que enfim possamos saber com quem estamos lidando.

E é somente por estarmos ocupando, nos apropriando de um espaço que é nosso por direito, que podemos realizar esta exigência, pois apenas  quando os estudantes se organizam de forma autônoma num espaço de convívio, debate e reflexão crítica sobre o meio em que nós estamos inseridos é que podemos de fato lutar por uma educação que contemple nossas reais demandas e as de toda a sociedade. Necessitamos de um espaço que seja referência física e de reunião ideológica, ou seja, dentro da PUC e de acesso a todos e a qualquer momento. Portanto, e entendendo que vocês não podem atender as demandas para a construção de um ensino que de fato nos contemple, requisitamos uma resposta oficial, definitiva e direta de para onde irá nosso centro acadêmico e que seja dada em audiência pública,  pois não aceitaremos mais diálogos com instâncias burocráticas, queremos que toda a comunidade puquiana perceba este descaso sobre o qual estamos falando. Estamos há três dias ocupados e queremos essa resposta hoje, quinta-feira, dia 19 de abril de 2012, até 18h. Caso contrário, a outrora Ouvidoria burocrática da PUC-SP será definitivamente o Centro Acadêmico Benevides Paixão e assim, neste momento mais que nunca, toda a comunidade puquiana poderá ser ouvida e mais que isso, terá voz e apoio para lutar pelo que acredita.

Chega de descaso e displicência, chega de cerceamento de nossa liberdade, queremos ser protagonistas da construção desse ensino. E saibam: quem fecha os ouvidos para a educação, percebe hora ou outra, que o grito de indignação daqueles que lutam por seus direitos transpõem barreira antes intransponíveis. Algumas ações parecem afinal impossíveis, até que se tornam inevitáveis!

Corpo estudantil dos cursos de Jornalismo e Multimeios


Reunião departamental discute criação da Faculdade de Jornalismo

5 mar

O Departamento de Jornalismo discutirá, na próxima terça-feira, 6 de março, a criação da Faculdade de Jornalismo. A princípio essa reunião aconteceria em sessão extraordinária, no ultimo sábado,dia 3 de março.

A Comunicação Social na PUC-SP compreende, hoje, os cursos de Publicidade e Propaganda, Multimeios e Jornalismo, e faz parte da Faculdade de Filosofia, Comunicação, Letras e Artes (Faficla).

Desde 2009, há uma articulação, no entanto, entre Departamento de Jornalismo e Reitoria com o objetivo de desvincular o Jornalismo da Comunicação Social e da Faficla para a criação de uma Faculdade com graduação, pós e pesquisa apenas em Jornalismo.

Este é o primeiro ano em que as antigas turmas de Comunicação Social com habilitação em Jornalismo começam uma graduação cuja matrícula é exclusivamente em Jornalismo, e não mais em Comunicação Social.

A gestão “À Ousadia pertence o futuro” do C.A. Benevides Paixão entende que é importante que nós, estudantes, participemos do processo de discussão e formulação da Faculdade.

Convidamos tod@s @s interessad@s, portanto, a participar conosco do encontro amanhã, por volta das 12h, no Corredor da Cardoso.

Estudantes realizam ato carnavalesco pela abertura de bolsas

17 fev

O espírito pré-carnavalesco tomou conta da prainha, no campus Monte Alegre da PUC-SP, na última quarta-feira dia 15. Os gritos “vem… vem pro bloco vem, contra o aumento!” convidavam estudantes de diversos cursos da pontifícia à luta pela redução das mensalidades.

O ato, que começou por volta das 19h, foi organizado a fim de divulgar o escasso número de bolsas institucionais oferecidas pela PUC-SP, as quais a Fundação São Paulo (mantenedora da instituição) e a Reitoria da universidade confundem com programas como Fies e Prouni, e para manifestar repúdio ao sistemático aumento das mensalidades ocorrido nos últimos anos – em torno de 30% desde 2010. Continue lendo

Você pode almoçar por R$6 na PUC!

13 set

A universidade subsidia desde o semestre passado uma parte do custo do bandejão, que fica ao lado do restaurante por quilo “Facultativo”, na praça de alimentação. Sem esse desconto, o prato custaria R$9,90.

Esse subsídio não é nenhuma bondade da PUC-SP. Além de já estar válido desde o semestre passado – sem que a maioria dos estudantes soubessem –, fomos informados, inclusive, de que sua não publicização é uma decisão deliberada da administração da universidade.

O subsídio é uma das conquistas da ocupação da reitoria do ano passado, quando lutamos por maior assistência estudantil. Apesar de já ter sido um avanço, não o consideramos satisfatório. Iremos continuar na luta por um bandejão gratuito, acessível a todos e que realmente sirva de incentivo à permanência do estudante durante o seu dia na universidade.

SAIBA COMO
Para pagar menos no bandejão você deve preencher um cadastro no PAC (setor de atendimento comunitário), que fica no térreo do Prédio Novo, sala 63-G. Depois disso, você pode, toda semana, retirar os tíquetes que dão direito ao desconto.

Conselho de Centros Acadêmicos (CCA) da PUC-SP Continue lendo